Panelinha - receitas que funcionam

Quinta-feira, 24 de março de 2011

Mais marmitas phynas

Mais marmitas phynas

Há tempos venho pensando sobre comida de escritório, receitas boas de levar para o trabalho, que sejam saudáveis, elegantes e perfumadas – não tem nada mais desagradável que cheiro de comida dos outros no ambiente laboral. O assunto virou o tema da minha coluna na revista Lola – você viu? Lá, mostrei o preparo de uma salada de cuscuz marroquino com frango desfiado, abobrinhas e cebolas-roxas assadas e folhas de manjericão, para dar um toque de frescor. Mas essa é apenas uma possibilidade. E, aqui no blog, quero explorar um pouco mais o assunto.

Na hora de elaborar marmitinhas gostosas e saudáveis, uma das questões é a composição dos ingredientes. Fazer uma salada de lentilhas só com lentilhas funciona quando ela é o acompanhamento do peixe. Numa marmita, vários ingredientes precisam formar o prato. E tudo, absolutamente tudo, pode virar salada (claro que poderia ser algo quente, mas eu implico um pouco com comida requentada).

Para mim, o segredo, além de misturar diferentes alimentos, é também variar os métodos de cozimentos. Por exemplo: na salada da foto, o cuscuz é cozido, o frango é marinado e assado, os legumes são quase queimados (é assim que eu gosto) e o manjericão é fresco. (E já fiz a mesma preparação sem o cuscuz e com queijo do tipo cottage. Ficou uma delícia.)

Aqui no site, há um monte de receitas que se transformam em ótimos pratos para comer ao lado do teclado. Mas o meu objetivo aqui é estimular você a criar as suas versões.

Fórmula básica

Se você só usar carboidratos, é capaz que fique com fome depois de uma hora; se comer apenas carnes, provavelmente vai se sentir sem energia. Uma boa fórmula é somar um grão e/ou um vegetal a uma proteína; para perfumar, use ervas frescas; e, para temperar, azeite e limão ou vinagre. Mas outros grupos de alimentos podem ser usados: frutas, queijos e até macarrão.

Só para exemplificar:

- cubos de abóbora japonesa assados com azeite e alecrim + músculo cozido e desfiado + vinagre de vinho tinto (o azeite usado na abóbora já é suficiente para o molho)

- maçã cortada em quartos e assada com azeite + cevadinha cozida + frango desfiado + salsão fresco picado + raspas e suco de limão

- macarrão cozido + fatias de cebola douradas no azeite + atum em conserva + folhas de manjericão fresco + vinagre de vinho branco

As possibilidades são infinitas. Legumes, leguminosas, cereais, carnes, frutas, queijos, tudo pode. E a graça é fazer composições, pesquisar casamentos de sabores e anotar tudo à medida que dá certo!

Uma mesma base pode ter variações tão diferentes que o prato não fica com sabor de comida de ontem. Por exemplo: quando você preparar o frango para salada (veja a receita abaixo), não vai consumir de uma só vez, é muito; então, num dia ele vai com cuscuz, como o da foto, no outro, com maçã ralada, soja cozida e iogurte temperado com uma pitada de curry. Sabores completamente diferentes.

Frango para salada

Sempre que pergunto pelo Twitter o que as pessoas comeram no almoço, mais de metade das respostas inclui frango. Então, acho que explicar o preparo de um peito para salada pode ser bem útil. Na minha experiência, a maneira mais saudável e saborosa de prepará-lo é assim: em um recipiente, coloque 1 peito inteiro de frango, com pele e osso, e regue com suco de 1 laranja e ¼ de xícara de vinho branco ou ainda de vinagre de vinho branco; amasse um dente de alho com 1 colher (chá) de sal e espalhe no frango; cubra o recipiente com papel-alumínio. Leve ao forno preaquecido a 180 oC para assar por 40 minutos; retire o frango e deixe esfriar. Reserve um pouco do líquido que ficou na assadeira para temperar a salada. Desfie e use em preparações frias. Absolutamente multiuso.

Algumas receitas

Claro que você pode usar como base algumas receitas aqui do site, mas não se prenda a elas. Isso porque as saladas não são pensadas para marmitas, e sim para compor uma refeição. O ideal é você ir criando as suas receitas. E mais: variando bem, a sua alimentação fica mais saudável e saborosa.

As saladas podem ser de grãos, como a de cereais, a de cevada, a de cuscuz marroquino, a de lentilha, a de soja, a de grão-de-bico ou a de quinoa. Use todas elas como base para as suas criações!

Lembre-se de que incluir carnes também é uma ótima ideia, como na salada de cevada com músculo, que é divina. Ou use peixes, como na salada de feijão-branco com salmão. Vale lembrar que macarrão também vai muito bem, e a versão caprese fria fica uma delícia.

Equipamento

Um último detalhe para que a sua marmita fique realmente phyna: dentro de uma bolsa térmica fofa, coloque uma barrinha de gelo reutilizável (é de plástico com gel dentro); leve uma garrafinha de vidro com suco natural, um bowl lindo de morrer com a salada do dia (coberto com filme, claro) e mais alguma fruta para sobremesa. Pronto. Ah!, não podemos nos esquecer dos talheres e do guardanapo de pano, que além de fino é mais correto ecologicamente que o de papel. O seu corpo vai agradecer não precisar comer fora todo santo dia, e o seu bolso também.

>> Postado por Rita Lobo 18:46

PERFIL
  • Rita Lobo cozinha com uma caneta na mão e escreve ao lado do fogão. Ela é autora de vários livros, entre eles, A conversa chegou à cozinha, crônicas e receitas (Ediouro); Culinária para bem estar, receitas antiTPM (Editora Panelinha); e o best-seller Panelinha, receitas que funcionam (Senac). Também assina a seção Panelinha na LOLA, revista da Editora Abril. Para o canal GNT, criou e apresenta a série Cozinha Prática. Formada em gastronomia nos EUA, a chef começou a escrever sobre comida em 1995, no jornal Folha de S.Paulo. Em 2000, criou o site Panelinha, que dirige até hoje.

PUBLICIDADE